Idioma:

Home office como estratégia de sustentabilidade corporativa

18 de janeiro de 2013 | Em Sustentabilidade | 304 visualizações | Por

Clique e compartilhe: 


Abandonar os escritórios no centro das grandes cidades tem sido cada vez mais uma opção do funcionário que se sente atraído por receber acima dos níveis convencionais de emprego. Isso porque torna viável inúmeros benefícios, como a redução de custos (alimentação, transporte e aluguel), o aumento da qualidade de vida e da proximidade com a família e ainda permite o gerenciamento do próprio horário de trabalho. Além disso, contribui para melhorar o trânsito, diminuindo assim os congestionamentos e a emissão de CO2.

HomeOfficeDe acordo com um estudo da Business School São Paulo (BSP), as relações de trabalho caminham cada vez mais para modelos que valorizam o meio ambiente e a satisfação do funcionário. Foi pensando nisso que os fundadores da i-Uni implementaram o conceito de trabalho flexível dentro da companhia, que é impulsionado, principalmente, pela tecnologia da informação.

Uma prova do crescimento dessa nova organização do mercado de trabalho pode ser obtida pela análise dos hábitos do consumidor. Hoje, cerca de 20% das pessoas que procuram um apartamento para comprar querem um “home-office”. A maioria das construtoras está direcionando seus negócios para esse mercado. Por outro lado, nos últimos anos tornou-se cada vez maior o número de pessoas que têm acesso a computadores com internet.

Estima-se que hoje, no Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas já trabalham em casa, segundo dados da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades (Sobratt). E atividades como o licenciamento imobiliário, modelo inédito de negócios imobiliários trazido ao país pela i-Uni Brasil, é um ótimo exemplo dessa prática. A ideia é trabalhar de forma descentralizada, oferecendo a cada núcleo de funcionários a possibilidade de exercer sua função sem sair de casa.

De acordo com o diretor geral da i-Uni Brasil, Rodrigo Caporrino, a medida reduz os custos de deslocamento de pessoal, além de contribuir com o meio ambiente. “Trabalhando dessa forma, reduzimos a emissão de poluentes pela queima de combustíveis nos veículos para transportar o colaborador, que também trabalha mais disposto por não enfrentar o trânsito caótico nos horários de pico”, diz.

O executivo ressalta que todas as pessoas que trabalham na rede fazem um login no horário em que foram contratados pela empresa, possibilitando o controle do ponto dos mesmos. Além disso, a intranet permite comunicação imediata com o companheiro ou com os outros departamentos, através de mensagens instantâneas ou vídeo.

“Se for o caso de realizar reuniões, sejam urgentes ou previamente agendadas com a equipe, utilizamos o já consagrado sistema de videoconferências Skype”, afirma. Já para suporte técnico aos clientes, a i-Uni utiliza um sistema onde o departamento de TI acessa qualquer computador através de um programa informático e resolve o problema no ato.

Meio-ambiente – Seguindo esse exemplo de sustentabilidade, existe ainda uma criteriosa política de impressão de papéis e documentos exercida pela i-Uni Brasil. Essa prática só ocorre em caso de estrita necessidade, como um documento a ser entregue em um banco ou contratos importantes para a prestação de serviços ao licenciado, geralmente exigidos por alguns dos grandes portais de anúncios imobiliários.

As próprias notas fiscais são eletrônicas e emitidas diretamente para o e-mail do cliente. O objetivo é a economia de árvores pelo papel não impresso, a redução da emissão de poluentes pelo não uso das tintas de impressão e da eletricidade pela impressora que não trabalhou, por exemplo.

Segundo a diretora de comunicação da i-Uni Brasil, Vanessa Rosal, outra vantagem é a redução do espaço físico por parte do armazenamento de papel, que se fosse usado em todos os processos, aumentaria exponencialmente com a adesão de novos clientes. “Finalmente, como consequência desta atitude, contribuímos para uma conscientização de nossa equipe através de atitudes diárias que se tornam um hábito”.

Por Thiago Barone

De Ivaiporã/PR, Engenheiro de Computação, Administrador do Grupo Dicas em Geral. Apaixonado por Tecnologia e Informática.



Deixe seu comentário

Um pouco sobre nós

    O Grupo Dicas em Geral surgiu em 2007 a partir de idéias inovadoras sobre solução de problemas enfrentados diariamente por quem utiliza a Tecnologia e Informática, tanto usuários comuns quanto técnicos. Mas onde surgiu, por quê e qual é o propósito deste site?

Clique aqui e conheça!

Siga o Dicas em Geral no Google+

Vídeo da Semana