Idioma:

De olho no Brasil: mercado brasileiro atrai investidores estrangeiros

15 de junho de 2013 | Em Notícias | 583 visualizações | Por

Clique e compartilhe: 


O interesse dos estrangeiros pelo Brasil é indiscutível. Especificamente em nossa empresa, esta tendência tornou-se ainda mais clara a partir de 2008.
Por suas características tanto geográficas quanto culturais, o Brasil sempre teve visibilidade junto aos mais diversos públicos, ao redor do mundo. Trata-se de um país de dimensões continentais, clima tropical, lindas paisagens naturais, cuja população é mundialmente reconhecida pela hospitalidade e jeito alegre de levar a vida.

InvestidorPor outro lado, até o final da década de 80, a economia brasileira caracterizou-se por uma política de fechamento às importações. Todo este cenário começou a mudar, a partir da abertura comercial observada no governo de Fernando Collor. Posteriormente, com o controle da inflação e a consequente estabilidade econômica atingida através do Plano Real, houve um aumento substancial do poder de consumo de grande parte da população, fenômeno este observado durante os dois mandatos de Fernando Henrique Cardoso e, mais recentemente, durante os dois mandatos de Luis Inácio Lula da Silva.

Ocorreu um processo de facilitação do acesso ao crédito e uma parcela da população – até então excluída do sistema financeiro formal – passou a ter contas bancárias e acesso a opções de financiamento de bens de consumo e de bens duráveis. O conjunto de mudanças foi grande e suas consequências também. Nascia um novo Brasil e o mundo todo assistia a este processo.

Hoje temos uma classe média significativa no Brasil, ainda que nossa definição de classe média seja bem diferente do que se observa em países mais desenvolvidos. O fato é que muito mais brasileiros são consumidores ativos nas categorias mais diversas, desde gêneros alimentícios até cosméticos, passando por automóveis e telefones celulares. E com isso, não é de se surpreender que empresas e grandes conglomerados internacionais vejam no Brasil uma grande oportunidade. Isto fica evidente tanto nos diversos processos de privatização ocorridos nas últimas décadas – onde investidores estrangeiros tiveram uma presença constante -, quanto nas diversas marcas que chegaram ao país em passado recente.

Muitos estrangeiros me perguntam como o Brasil pode ser um mercado interessante com preços tão altos nas mais diversas categorias de produtos. Nossos preços absurdos estão relacionados, entre outras coisas, à estrutura de impostos e às altas margens praticadas localmente. Mas tais obstáculos aplicam-se a todas as empresas e marcas presentes no país. Assim, no final, o consumidor acostumou-se a pagar muito pelos produtos e nem por isso, deixou de consumir. Em outras palavras, o consumidor médio brasileiro só conhece essa realidade e, portanto, vive nela sem maiores questionamentos. Isto fica evidente nos constantes artigos em revistas e jornais estrangeiros que focam nos preços astronômicos pagos pelos brasileiros por seus automóveis (em geral, algo como três vezes o que os norte-americanos pagam pelos mesmos modelos).

Em última análise, temos hoje, no Brasil, um país com mais poder de compra, mais acesso ao crédito e com um público claramente ávido para consumir. E ainda que os obstáculos sejam vários (problemas de infraestrutura logística que dificultam e encarecem a distribuição e sistema tributário pesado e complicado, entre tantos outros), o Brasil hoje se apresenta como uma alternativa interessante para a expansão dos negócios de várias empresas multinacionais, com características políticas e demográficas que o destaca mesmo em comparação aos outros membros do chamado grupo dos BRICS.

Considerando a continuidade do cenário de estabilidade econômica e a grande exposição e visibilidade que vem com os grandes eventos esportivos de 2014 e 2016, este é um momento para ser aproveitado. Com trabalho sério e disciplina na correção de nossos problemas, acredito que temos muito a ganhar.

* Rodrigo Scaff

Rodrigo Scaff formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo em 1996 e obteve seu MBA pela Columbia University em 2001. Sua experiência profissional inclui trabalho com desenvolvimento de novos negócios na área internacional, ocupando posições nos EUA e no Brasil. No final de 2002, em sua volta ao Brasil, Rodrigo fundou a Suriana Trading, mudando o foco de sua carreira. A partir do início desta fase empreendedora, Rodrigo vem se dedicando à Suriana e trabalhando para o desenvolvimento da empresa e de seus clientes.

De Ivaiporã/PR, Engenheiro de Computação, Administrador do Grupo Dicas em Geral. Apaixonado por Tecnologia e Informática.



Deixe seu comentário

Um pouco sobre nós

    O Grupo Dicas em Geral surgiu em 2007 a partir de idéias inovadoras sobre solução de problemas enfrentados diariamente por quem utiliza a Tecnologia e Informática, tanto usuários comuns quanto técnicos. Mas onde surgiu, por quê e qual é o propósito deste site?

Clique aqui e conheça!

Siga o Dicas em Geral no Google+

Vídeo da Semana